Atendimentos via mensageiros eletrônicos disparam durante a pandemia

Atendimentos via mensageiros eletrônicos disparam durante a pandemia

341
SHARE

Em apenas uma semana de abril, chatbots tiveram um aumento de 100% de uso em países da Europa, Estados Unidos, Ásia e Brasil

A pandemia de coronavírus obrigou empresas a reduzirem na sua estrutura o número de funcionários que atuam com atendimento ao cliente. Muitos tiveram de ir para o home-office.  Com isso, a expansão dos serviços de chatbot apresentou uma expansão de 100% em uma semana no mês de abril, pico da epidemia da Europa e números de casos altos em países da América, em especial nos Estados Unidos.

Num período de sete dias foi o suficiente para perceber esse crescimento nos países avaliados pela companhia espanhola Inbenta, companhia especializada em inteligência artificial para autoatendimento. Foram avaliados Brasil, Estados Unidos, China, Japão, Austrália e alguns países da Europa.  Outros exemplos são as companhias aéreas, de turismo e de telecomunicações, os atendimentos via chatbots chegaram a triplicar no mesmo período.

Além disso, o levantamento da Inbenta apontou que empresas como Gol, Claro, Volkswagen, Telefônica, e as que pertencem aos setores de e-commerce, investimento, educação e financeiro, dobraram esse tipo de atendimentos com inteligência artificial.

“Os colaboradores precisam de uma ferramenta acessível, amigável e que possa organizar todas essas tarefas, além de possibilitar o atendimento a distância. Isso que os bots fazem”, explica Júlio dos Reis, CEO da SYM, desenvolvedora do Pigeon um mensageiro eletrônico, compatível, por exemplo com aplicativos de troca de mensagens e redes sociais. 
Sem os bots, citados pelo CEO da SYM, diversos  clientes deixariam de ser atendidos ou demorariam um tempo bem maior para encontrar o que procuram. 

“Muitos negócios passaram a prestar a maior parte dos atendimentos online, principalmente no varejo, com isso, precisam de uma organização e agilidade para concluir suas vendas. Até porque a concorrência pode ser mais rápida não deixando o cliente sem uma resposta. Sem os bots, o empresário, o vendedor podem não dar conta de parte desse atendimento em virtude de outras funções dentro própria empresa. 

Como funcionam os bots? 

Além disso, os bots funcionam de forma bastante simples. Só é preciso um número de celular e o aplicativo desejado para a interatividade com o cliente. Dependendo do nível de integração entre Chatbot e outros sistemas, os preços e produtos e formas de pagamento e até comprovantes podem ser envidados para os clientes pelo bot”, detalha o CEO, destacando que a era dos bots veio para ficar, especialmente pela necessidade do distanciamento social por conta da pandemia.  
Os bots, reforça Júlio, funcionam 24 horas por dia o que faz com que oportunidades de negócios não sejam perdidas porque o empresário estava desenvolvendo outra atividade. Ainda pelo bot é  possível receber o pedido, confirmar endereço de entrega e já enviar link de pagamento. “Os bots tem um custo baixo e que pode gerar lucro e a fidelização de clientes, de maneira simples e objetiva”, completa Júlio dos Reis.
Ainda é possível usar os bots em outros setores como educação, saúde, atendimento, varejo, marketing, pets, promoções e qualquer outro que necessite organizar a demanda de interações entre empresa e múltiplos clientes .

Saiba mais sobre a SYM e o Pigeon no https://www.portalsym.com.br/

Fonte: Comando News

LEAVE A REPLY