Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de...

Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc apresentam:

158
SHARE

Mulheres Nascidas de um Nome encenado de 25 a 30 de março, pelo YouTube Baseado em livro homônimo do argentino Claudio Hochman, atrizes de onze países são dirigidas por Claudio TorresGonzaga 

Vinte e oito atrizes de onze países estão reunidas no espetáculo Mulheres Nascidas de um Nome, que chega no formato online, em seis apresentações, de 25 a 30 de março (5af a 3af), sempre às 18 horas, pelo YouTube  www.youtube.com/michellerajagebara. Baseado no livro homônimo do argentino radicado em Portugal, Claudio Hochman, que contém cinquenta microcontos em prosa, todos a partir de um nome feminino, a montagem tem direção do premiado Claudio Torres Gonzaga e produção da Raja Gebara Pictures. Após as apresentações, bate-papo com elenco e diretor pelo Sympla. , Abaixo, serviço completo e link com materiais e apresentação das atrizes.

No espetáculo, atrizes do Brasil, Portugal, Espanha, Panamá, Peru, Colômbia, Uruguai, Paraguai, Venezuela, Costa Rica e Bolívia, encenam trinta e três nomes que tendo como título nomes de mulher, não pretendem descrever uma única pessoa. Em cada um deles, o autor joga com o imaginário coletivo do nome. Os contos são apresentados em solo, duplas, trios ou em grupos, com todas as mulheres, além de cenas musicais com canções com nomes de mulheres, como Lígia, Malena, Sandra, Rosa, Magdalena, Maria Maria, dentre outras. Performances de dança e perna de pau também agregam diferentes linguagens ao espetáculo. 

“Que maravilha que, o que um escreve, atravesse o oceano

e tome vida em outras bocas, em outros corpos, em outros olhares,

em outras mulheres nascidas de outros nomes.”,

reflete Claudio Hochman. 

Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc apresentam Mulheres Nascidas de um Nome, com o elenco com de atrizes de várias etnias, bem como de inclusão social. São elas: Atrizes brasileiras: Angélica Rodrigues (Brasil/Atriz e intérprete de libras), Ana Terra Blanco, Catarina Saibro, Celisa Diuana, Cíntia Kawahara (Brasil/Nissei), Daruã Góes, Isabella Dionísio, Juliana Resende, Kizi Vaz, Maíra Kestenberg, Michelle Raja Gebara, Rafa Delgado (Brasil/Síndrome de Down), Rayza Noiá, Renata Di Carmo, Roberta Chaves, Sorys Vellozo. Amparo de Gata (Espanha), Andrea Lacassy (Uruguai), Andy Romero (Paraguai), Carolina Solano (Costa Rica), Gabriela Dias (Brasil/Venezuela), Hada Luz (Colombia/Brasil), Laise Leal (Portugal/Brasil), Marta Fernandes (Portugal), Martha, Nieto (Espanha), Mayra Padilla (Bolivia/indígena), Rosa García (Panamá/indígena), Vanessa Saba (Peru).

“Uma Marta me chamou pra dirigir uma peça em Portugal, lá conheci
uma Adelaide Sofia que me chamou pra ver um espetáculo de muitas mulheres com muitos nomes. Na montagem brasileira conheci uma Michelle que me apresentou mais outros tantos nomes de mulheres latinas. De tantos nomes nasceu esse Mulheres Nascidas de um nome.”, a licença poética do diretor Claudio Torres Gonzaga.

Parte dasvinte e noveartistas mulheres, são brasileiras que fizeram a montagem presencial em 2019. São atrizes brasileiras que moram fora do Brasil (Colômbia, Portugal), artistas estrangeiras que dominam o português (Uruguai, Portugal, Paraguai, Panamá, Bolívia e Espanha), além de duas cantoras indígenas, quatro artistas negras e uma atriz com Síndrome de Down. 

Mulheres Nascidas de um Nome será encenado em português, com duas cenas em espanhol. A apresentação contará com intérprete de libras. Além de uma cena interpretada totalmente em libras, para que o público não entenda e “se coloque” no lugar do deficiente auditivo. Esta cena especificamente será a única que não terá nenhum recurso musical.

FICHA TÉCNICA | Mulheres Nascidas de um Nome

Elenco: Atrizes brasileiras: Angélica Rodrigues (Brasil/Atriz e intérprete de libras), Ana Terra Blanco, Catarina Saibro, Celisa Diuana, Cíntia Kawahara (Brasil/Nissei), Daruã Góes, Isabella Dionísio, Juliana Resende, Kizi Vaz, e Maíra Kestenberg, Michelle Raja Gebara, Rafa Delgado (Brasil/Síndrome de Down), Rayza Noiá, Renata Di Carmo, Roberta Chaves, Sorys Vellozo.Amparo de Gata (Espanha)    Andrea Lacassy (Uruguai)    Andy Romero (Paraguai)    Carolina Solano (Costa Rica)    Gabriela Dias (Brasil/Venezuela)    Hada Luz (Colombia/Brasil)    Laise Leal (Portugal/Brasil)    Marta Fernandes (Portugal)    Martha Nieto (Espanha)    Mayra Padilla (Bolivia/indígena)    Rosa García (Panamá/indígena)    Vanessa Saba (Peru)

Autor/dramaturgia: Claudio Hochman
Direção: Claudio Torres GonzagaAssistente de Direção/Produção Executiva: Michelle Raja GebaraDireção de Produção: Wagner PachecoPreparação Corporal: Ignacio AldunateIluminação: Luiz Paulo Nenen Cenário/Figurino: Nello MarresePreparação Vocal: Monica KarlTrilha Sonora: Tomás Gonzaga Operador de câmera/vídeo: Edith BarcelosDesign: Patrícia FernandesAssessoria de Imprensa: Silvana Cardoso E. Santo (Passarim Comunicação)/ Maria Inês Costa (MAIC Comunicação)Comunicação virtual: Inove Mais Marketing DigitalController: Fernanda BarretoRealização: Raja Gebara PicturesPatrocínio: Retomada Cultural RJ – SECEC/RJ – Lei Aldir Blanc 

Sobre Claudio Torres Gonzaga | Diretor

Formado em cenografia pela UNIRIO e com mestrado em teatro. Diretor de teatro premiado com os espetáculos “Boca de Ouro” e “Mulher sem Pecado”, de Nelson Rodrigues e “Comédia dos Erros” e “Mercador de Veneza”, de Shakespeare. Suas últimas peças foram: “Mulheres Nascidas de um Nome” (2019), “Enfim Nós” e “Jacaré”; estreando as duas últimas como diretor/autor em Portugal (2017); Redator da TV Globo de 1998 a 2016, assinando a redação de humorísticos como “Sob Nova Direção” e “Zorra Total”. Escreveu os programas: A Grande Família, Sai de Baixo, Malhação e Escolinha do Prof. Raimundo; Foi diretor da webserie “SuperOnix” com Daniel Ventura para o Gshow. Roteirista dos longas “Vestido para Casar” com Leandro Hassum e “Os Parças”, com Tom Cavalcanti e Whinderson Nunes (2019). Fundador do “Comédia em Pé” e se apresenta como comediante stand-up desde 2005 pelo Brasil e exterior. Atualmente, ensaia online a peça “O Misterioso Desaparecimento de W”, premiada pelo Fundo de Cultura de Portugal.

Sobre Claudio Hochman | Autor

Escreve peças de teatro, adapta clássicos e encena espetáculos de todo o tipo, desde textos literários a musicais, óperas e teatro de marionetes. As obras do Argentino viajam por muitos países europeus e latino-americanos, tendo recebido vários prêmios pelo seu trabalho.  Entre os anos de 1983 e 2001 desenvolveu seu trabalho na Argentina e, desde 1997, encena e dá aulas de teatro em Lisboa, onde mora desde o ano de 2001. Também é diretor e, com seus espetáculos, participou de Festivais na Iugoslávia, Espanha, Uruguai, Costa Rica, Venezuela, México, Colômbia, Portugal, Holanda, Hungria, França, Peru, Bolívia, Jordânia e Brasil. O seu primeiro livro, Saudade, com ilustrações de João Vaz de Carvalho, foi publicado em Portugal e no Brasil. Também publicou “Pássaro que Voa”, “Famílias Destrambelhadas”, “Mulheres Nascidas de um Nome”, “Ilhas” e “Homens sem Nome”.  Este último com o apoio do Fundo Cultural da Sociedade Portuguesa de Autores.

Sobre Michelle Raja Gebara | Atriz/ assistente de Direção/Produção Executiva

É produtora e atriz formada pela CAL (2007). Foi finalista do Edital Prêmio Sesc Rio de Fomento à Cultura 2011 com o projeto do filme “A Mídia na Alimentação do Escolar”. Agora em 2020, foi selecionada pelo edital Cultura nas Redes para produzir a “Oficina de Teatro Acessível” durante a quarentena. Em 2017, foi selecionada pelo Edital da Prefeitura do Rio de Janeiro, com dois projetos teatrais: “Amor por Anexins”, direção: Wagner Brandi e “Diários Marginais: Um Encontro com Lima Barreto e João do Rio”, direção: Luiz Furlanetto. Ganhou o edital “Prêmio Arte Escola Territórios Sociais”, da Prefeitura do Rio em 2018. Ainda no mesmo ano, foi selecionada pelo Edital “Paixão de Ler”. Em 2013, foi assistente de produção do espetáculo “Arte”, direção Emilio de Mello, com Vladimir Britcha, Marcelo Flores e Cláudio Gabriel (Teatro Leblon e Teatro Renaissance). 

Wagner Pacheco | Diretor de Produção

Foi diretor financeiro do Espaço Tom Jobim, de 2007 a 2009 e da Escola de Atores Wolf Maya em 2016. Principais trabalhos: DIÁRIOS DO ABISMO, com Maria Padilha, direção de Sergio Módena – CCBB RJ Teatro II, 2018 e SESC 24 de maio, 2019; UM PAI PUZZLE, com Ana Beatriz Nogueira, direção de Vera Holtz e Guilherme Leme, Teatro Maison de France, 2017; MARLENE DIETRICH, AS PERNAS DO SÉCULO, direção de William Pereira – Teatro Maison de France e Teatro Nair Bello (SP), 2014; JACINTA, com Andrea Beltrão, direção de Aderbal Freire Filho – Teatro Poeira e SESC Vila Mariana, 2013; TUDO QUE EU QUERIA TE DIZER, com Emilio Orciollo Netto, direção de Victor Garcia Peralta – (São Luis – Teatro Arthur Azevedo/ Fortaleza – Teatro Celina Queiros/ Manaus – Teatro Direcional/Brasília – Teatro Nacional Sala Martins Penna/Salvador – Teatro do SESC Casa do comércio), 2012; A ESCOLA DO ESCÂNDALO, com Maria Padilha e grande elenco, direção de Miguel Falabella – Teatro Tom Jobim e Teatro Raul Cortêz (SP);

SINOPSE

Baseado em livro homônimo do argentino Claudio Hochman, vinte e nove atrizes de onze países encenam os microcontos a partir de um nome feminino. Trinta e três nomes que não pretendem descrever uma única pessoa, em cada um deles o autor joga com o imaginário coletivo do nome.

MÍDIAS DIGITAIS

Instagram: www.instagram.com/mulheresnascidas_br/

Facebook: www.facebook.com/mulheresnascidasdeumnomebr

Site: www.michellerajagebara.com

SERVIÇO

Espetáculo: Mulheres Nascidas de um Nome

Datas: 25 a 30 de março de 2021

Apresentações: de quinta-feira a terça-feira | seis apresentações

Local: YouTube: www.youtube.com/michellerajagebara
Horário: 18h

Intérpretes: Atrizes brasileiras: Angélica Rodrigues (Brasil/Atriz e intérprete de libras), Ana Terra Blanco, Catarina Saibro, Celisa Diuana, Cíntia Kawahara (Brasil/Nissei), Daruã Góes, Isabella Dionísio, Juliana Resende, Kizi Vaz, Maíra Kestenberg, Michelle Raja Gebara, Rafa Delgado (Brasil/Síndrome de Down), Rayza Noiá, Renata Di Carmo, Roberta Chaves, Sorys Vellozo. Amparo de Gata (Espanha), Andrea Lacassy (Uruguai), Andy Romero (Paraguai), Carolina Solano (Costa Rica), Gabriela Dias (Brasil/Venezuela), Hada Luz (Colombia/Brasil), Laise Leal (Portugal/Brasil), Marta Fernandes (Portugal), Martha Fernandes, Nieto (Espanha), Mayra Padilla (Bolivia/indígena), Rosa García (Panamá/indígena), Vanessa Saba (Peru)

Após espetáculo, bate-papo pelo Sympla/Zoom: https://www.sympla.com.br/espetaculo-mulheres-nascidas-de-um-nome__1138612

Online e gratuito
Classificação etária: 16 anosDuração do espetáculo: 1h30

Fonte: Passarim Comunicação e Marketing

LEAVE A REPLY