Exposição no CCBB Rio, Nise da Silveira – A revolução pelo afeto,...

Exposição no CCBB Rio, Nise da Silveira – A revolução pelo afeto, ganha acessibilidade pioneira com “Experiência Sonora Descritiva”, presencial e online, até 15 de novembro

65
SHARE

Equipe coordenada pela Inclusive Acessibilidade, sob a orientação da doutora Josélia Neves, conta com vozes de dubladores reconhecidos por personagens famosos do audiovisual

Sucesso de crítica e público, a exposição Nise da Silveira – A revolução pelo afeto, em  cartaz no CCBB Rio de Janeiro até  15 de novembro, ganha  projeto pioneiro em acessibilidade, intitulada “Experiência Sonora Descritiva” quando, de forma amorosa, recria o ambiente da exposição no formato de dramaturgia, como uma radionovela. Um elemento diferenciado e inédito dos programas de audiodescrição, com equipe coordenada pela Inclusive Acessibilidade, de Georgea Rodrigues, jornalista e dubladora, especialista em projetos acessíveis. Nesta prorrogação, a mostra também ganha o mundo com a possibilidade de ser vista em 360º, através do site do CCBB (abaixo). A “Experiência Sonora Descritiva também pelo link: www.nisenoccbb.com.br/audiodescricao

Com quase uma hora, a experiência de áudio nas três salas (e no corredor) de Nise da Silveira – A revolução pelo afeto, foi idealizada para pessoas com deficiência visual, mas também uma experiência para todos os visitantes. O processo foi desenvolvido coletivamente por toda e equipe de acessibilidade e composta também por atores e dubladores que reconstituem imagens do universo particular da Dra Nise, como seu pai, seu marido, a própria Dra, a faxineira do atelier, o fotógrafo, dentre outras pessoas que se transformaram em personagens reais da “Experiência Sonora Descritiva”. Abaixo, sinopse das salas, serviço, bem como ficha técnica com a equipe da “Experiência”.

Sob a orientação da portuguesa Josélia Neves, professoradoutora em Estudos de Tradução pela Roehampton University (Reino Unido) e Universidade de Aveiro (Portugal), e professora e pró-reitora na Hamad bin Khalifa University, no Catar, a mostra também conta com a roteirista Georgea Rodrigues e Letícia Schwartz, o desenho de som da editora de cinema Maria Muricy, da ABC e dois usuários do recurso de audiodescrição e consultores com deficiência visual: Rafael Bráz, que também é psicólogo e, Cida Leite, consultora em acessibilidade. Vozes de atores dubladores reconhecidos por personagens famosos do cinema e de séries, como Capitão América, Tocha Humana, Grey’s Anatomy, Billy Holliday, Rei Leão, dentre outros, fazem parte dessa equipe. Abaixo, ficha técnica, bem como a referência dos seus personagens, na mostra e no audiovisual.

“Trabalhar com uma equipe em que o rigor, a criatividade, a responsabilidade e a dedicação são totais, é a maior realização pessoal que se pode ter. Neste projeto aprendi, mais uma vez, como é produtiva a força do trabalho colaborativo. E como é único qualquer trabalho feito com amor.”, reflete Josélia Neves

A abordagem amorosa da psiquiatra Nise da Silveira ultrapassou os muros do hospital e ganhou o mundo. Com cerca de 90 obras surpreendentes de artistas do Museu de Imagens do Inconsciente estão dispostas em três salas do CCBB, ao lado de peças de Lygia Clark, Abraham Palatinik e Zé Carlos Garcia, retratos de Alice Brill, Rogério Reis e Rafael Bqueer, vídeos de Leon Hirzsman e Tiago Sant’Ana, reproduções de desenhos de Carl Gustav Jung, aquarelas, fotos e uma instalação de Carlos Vergara. A curadoria de Nise da Silveira – A revolução pelo afeto é do Estúdio M’Baraká, com consultoria do psiquiatra Vitor Pordeus e do museólogo Eurípedes Júnior. 

“Quando recebemos a proposta de acessibilizar a exposição “Nise da Silveira – A revolução pelo afeto” para as pessoas com deficiência visual, imaginei que não poderia ser nada igual ao que vínhamos fazendo. Teria que ser algo inovador, diferente, “transgressor” como a própria obra da Dra. Nise da Silveira sugere.

E assim, convidei Joselia Neves, doutora em Audiodescrição e pessoa do mundo, para nos levar para algo novo. Ela nos perguntou: Tens coragem? E eu respondi: tenho medo mas sou cheia de coragem! No entanto, nosso desejo era realizar o trabalho além da Audiodescrição, um serviço que contemplasse também videntes. Que fosse de fato uma “Experiência Sonora Descritiva”, que fosse de fato inclusivo. E para todos!”, declara emocionada Georgea Rodrigues 

Serviço:

CCBB Rio de Janeiro

Exposição Nise da Silveira – A Revolução pelo Afeto

Acessibilidade para pessoas com deficiência visual: “Experiência Sonora Descritiva

Tempo: 41`08“

Experiência Sonora Descritiva” Online pelo endereço:

www.nisenoccbb.com.br/audiodescricao

Presencial pelo endereço:

Sinopse das salas e corredor:

Sala 1 – A sala 1 sugere o desejo da observadora de entrar nela e a angústia que pressente nesse ambiente. Aos poucos, a tensão cede lugar à beleza e à profundidade das obras dos clientes da Drª Nise da Silveira, e a observadora se deixa afetar por aquilo que vê.

Corredor – É através do olhar dos fotógrafos – todos eles personagens fictícios – que percorremos uma galeria de fotos e mergulhamos na trajetória pessoal e profissional de Nise.

Sala 2 – O ateliê transmite uma sensação imediata e profunda de acolhimento. Os objetos parecem ter vida: os panos sobre as molduras, os bustos, o cavalete… Essa sensação impulsionou a criação de uma personagem capaz de protagonizar tanto afeto: uma funcionária, responsável pela limpeza e organização do local, alguém com quem Nise mantivesse um forte vínculo e que transbordasse a intimidade com esse espaço de trabalho e criação.

Sala 3 – Propusemos aqui um encontro com a loucura que habita em cada um de nós. A complexidade desta sala revela-se na figura do “louco”, responsável pela metamorfose da observadora. A fuga ao estereótipo, tão avesso à todas as lutas encampadas pela Drª Nise, nos conduz à carta do Tarô. O Louco – ou Louque, nessa identidade ambígua conferida pelas distorções na voz – nos acompanha na observação do poço, das mandalas, do descamar-se em pétalas e do renascer em pleno Carnaval.

FICHA TÉCNICA

Essa experiência sonora é uma criação coletiva, produzida a partir de obras e textos que compõem a exposição Nise da Silveira, com a participação de:

Orientação: Josélia Neves

Roteiro: Georgea Rodrigues e Letícia Schwartz

Consultoria de acessibilidade: Cida Leite e Rafael Braz.

Captação de Imagens: Bernardo Dutra

Consultoria de tarô: Pedro Poncioni

VOZES (por ordem alfabética):

Alexandre Maguolo (Personagens: Luis Carlos Mello e Pai de Nise)

Carla Pompilio  (Personagem: Louque)

Clecio Souto (Personagens: Lima Barreto e Fotógrafo da Faculdade)

Daniel Mackline (Personagens: Policial e Médico do Eletrochoque)

Flávio Bach (Personagem: Intérprete do Samba)

Georgea Rodrigues (Personagem: Observadora)

Letícia Schwartz (Personagens: Narradora Prelúdio e Textos de Parede)

Mckeidy Lisita (Personagens: Mario Pedrosa e Carlos Pertuis)

Monica Rossi (Personagem: Nise da Silveira)

Rodrigo Teixeira (Personagem: Marido da Nise)

Paula Muricy (Personagem: Fotógrafa) 

Sarito Rodrigues (Personagem: Faxineira do Ateliê)

Captação de áudio: Beatriz Rodrigues e Herbert Faria

Direção de Vozes: Georgea Rodrigues e Leticia Schwartz

Design de Som: Maria Muricy

Coordenação de Produção: Georgea Rodrigues

Realização: Inclusive Acessibilidade  

Fonte: Passarim Assessoria

LEAVE A REPLY