Uso estratégico de tecnologia impulsiona empresas do agronegócio

Uso estratégico de tecnologia impulsiona empresas do agronegócio

93
SHARE

Suite de serviços acelera resultados na adaptação de colaboradores para novas tecnologias no segmento agro

Quando uma empresa precisa alavancar o patamar competitivo por meio da tecnologia, os colaboradores devem ser capacitados para acompanhar essa evolução. A resistência do time é o principal desafio a ser superado para a implementação de um novo projeto. É nesse momento que entra em cena o GW Value Strategy (valor estratégico), serviço de alto valor agregado que une o PMO (Gestão de Projetos) com o GMO (Gestão de Mudanças) e utiliza uma metodologia de gestão exclusiva visando preparar a equipe para a implementação de uma tecnologia corporativa. Essa estratégia de adaptação da equipe chegou às empresas do agronegócio, setor em que é preciso compreender as particularidades do ramo.

Para adequar as empresas a processos inovadores, os projetos estratégicos precisam de ferramentas e dispositivos diferentes, e não podem ser tratados como uma mudança de rotina. Além disso, acionistas querem resultados e os executivos – que já se encontram muito exigidos – têm dificuldade em administrar e executar a concorrência de demandas. O foco fica comprometido e a estratégia acaba sendo mal executada, se não for assistida por especialistas com experiência na execução. Dessa forma, é necessário que alguém tracione a nova estratégia e atue como um desbloqueador com total imparcialidade para apoiar esses líderes.

Nesse contexto, Niviani Rudek, diretora de operações da Gateware, que comanda a suíte GW Value Strategy da empresa, destaca que o agronegócio tem características específicas no momento de instalação de uma oportunidade tecnológica. “Essas empresas precisam investir em novos projetos e, em geral, a organização não conta com uma estrutura interna de profissionais para executá-los. Diante disso, há uma estratégia nova a ser executada e é aí que atuamos”, explica. Para isso, a solução da Gateware alia o Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Mudança Humana, para que as empresas possam colher resultados lucrativos a curto, médio e longo prazo, sempre engajados com seu FIT cultural.

O desenvolvimento de competências se justifica pelos números. Cada vez mais, fundos de investimentos estão aportando capital no agronegócio e querem o retorno de todo o empenho, de forma a compatibilizar interesses e viabilizar a execução.

Preparar o segmento para adquirir a expertise necessária e performar na capacidade esperada é o objetivo da Gateware. “O agro é um mundo à parte, que tem alto poder de gerar resultados. Precisamos disponibilizar a estrutura das melhores práticas para garantir o crescimento desses índices com prazos estabelecidos”, aponta a diretora. Ela ressalta que a capacitação também passa por um processo de apresentação de uma nova cultura laboral a uma mão de obra que está distante dos grandes centros urbanos.

A tomada de decisões, nesses processos, passa a ser colegiada e colaborativa, tendo como meios relevantes mudanças de comunicação e no setor de Recursos Humanos. Isso significa que o profissional que vai promover a mudança é inserido previamente dentro da empresa para a plena adaptação do time. “Temos que chegar dois meses antes da implementação do projeto do parceiro de tecnologia. Pavimentamos os canais de comunicação e definimos questões com a área de RH, que precisa ser reposicionada dentro das estruturas de projetos estratégicos. Depois disso, as mudanças viram a chave de forma muito positiva”, finaliza.

Sobre a empresa – Focada em tecnologia e inovação, a Gateware foi fundada em 2000. Com matriz localizada em Curitiba, no Paraná, também possui unidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Argentina e EUA. Atualmente, possui mais de 100 funcionários e atua em quatro suites: GW Value Strategy (PMO Gestão de Projetos e GMO Gestão de Mudanças), GW Outsourcing (Alocação e Hunting de Profissionais de TI), GW Solution (Aplicativo LivID que realiza Prova de Vida e Recadastramento Digital por meio do reconhecimento facial e inteligência artificial) e GW Labs (Fábrica de Softwares Multiplataforma). Seu mais novo produto é o app LivID, que foi desenvolvido pela Bexpo, startup recém-adquirida pela provedora de soluções em tecnologia.

LEAVE A REPLY