Catharina Conte atriz e diretora se retira do reality “Futuro Ex-Porta”, do...

Catharina Conte atriz e diretora se retira do reality “Futuro Ex-Porta”, do Porta dos Fundos

84
SHARE

Radicada em Londres desde 2018, Catharina comenta sobre sua participação no programa: “Acho que eu me colocaria mais no jogo, não chegaria tão tímida e arriscaria mais, cheguei muito como atriz e menos como comediante. Foi minha primeira inserção na comédia, mas já aprendi tanto! Eu faria tudo de novo mil vezes. Agora não quero mais parar!”

Com microssérie autoral Fragmentada, no YouTube, Instagram e TikTok, Catharina planeja retornar ao Brasil em 2022

Atriz e diretora gaúcha, Catharina Conte fala sobre sua participaçãono elenco do “Futuro Ex-Porta”, reality show do grupo Porta dos Fundos, que teve estreia no dia 30 de outubro. Eliminada no terceiro episódio do programa, reflete: “Acho que eu me colocaria mais no jogo, não chegaria tão tímida e arriscaria mais, cheguei muito como atriz e menos como comediante. Foi minha primeira inserção na comédia, mas já aprendi tanto! Eu faria tudo de novo mil vezes. Agora não quero mais parar!”. E complementa: “Trabalhando perto de artistas como o Fábio Porchat e Gregório Duvivier, que eu admiro tanto, foi um sonho realizado e uma responsabilidade imensa! E acredito que uma das meninas vai ganhar o reality.”

Crédito Victoria Venturella

Agora, enquanto se dedica a sua micro série autoral “Fragmentada”, criada especialmente para ser exibida pelo Youtube e Tiktok (sinopse e infos abaixo), a multiartista – que atua como atriz, diretora, performer, professora de teatro e filmmaker –, planeja seu retorno ao Brasil para  2022. Desde 2018, Catharina está radicada em Londres, onde atua em espetáculos, como Closed Lands, que lhe rendeu elogios da crítica especializada. Também na Inglaterra, estreou no Southwark Playhouse, em agosto de 2021, quando dirigiu “The sky five minutes before a storm” (O Céu Cinco Minutos Antes da Tempestade), da brasileira Silvia Gomez.

Sinopse microssérie Fragmentada:

Fragmentada conta a história de Catha, uma imigrante brasileira em Londres que, diante de uma crise proporcionada por seu chefe abusivo, se percebe com sua personalidade fragmentada em cinco partes. Ao longo dos quatro capítulos, as partes fragmentadas discutem temas como sexualidade, feminismo, diferenças culturais e TDAH

Ficha Técnica Fragmentada:

Direção, roteiro, concepção e direção de edição: Catharina Conte

Direção de fotografia e colaboração de argumento: Amanda Gatti

Script Advisor: Julie Bazacas

Microssérie “Fragmentada”

Onde: YouTube

Instagram: @catharinaconte

TikTok: @catharinaconte

Nascida em Porto Alegre, filha dos artistas Julio Conte e Patsy Cecato, Catharina viveu sua infância nas coxias dos teatros. Ela ganhou destaque em montagens e, aos 30 anos, já comemora 20 anos de carreira. Em 2022, ela retornará ao Brasil, onde é sócia-diretora e professora da escola de teatro Porto Alegrense Cômica Cultural. Graduada em Produção Audiovisual pela PUCRS, Catharina concluiu em 2015 o Bacharelado em Teatro com ênfase em atuação pela UFRGS. Como atriz, ela já atuou em mais de 15 espetáculos de teatro e projetos audiovisuais. Atualmente, Catharina é colaboradora do grupo LegalAliens Theatre (http://legalalienstheatre.com), onde atua no espetáculo Closed Lands (2020) e no projeto digital #ThingsIAmNot.

Como diretora, se destaca com o recente trabalho em parceria com o StoneCrabs Theatre no espetáculo “The sky five minutes before a storm” (O Céu Cinco Minutos Antes da Tempestade), da premiada dramaturga brasileira Silvia Gomez, apresentado recentemente no Southwark Playhouse, na Inglaterra. Na sinopse, o questionamento de até onde vai o poder de cura da medicação é o que norteia a montagem de Catharina. Uma rotina de co-dependência entre uma enfermeira e sua paciente é alterada quando Arthur volta depois de um longo tempo. Três personagens tentam encontrar algo perdido entre a dor da realidade, o alívio dos sonhos e a impossibilidade de se alcançarem.

Mídias digitas Catharina Conte:

Youtube: https://www.youtube.com/catharinaconte

Instagram: https://www.instagram.com/catharinaconte/

Twitter: https://twitter.com/catharinaconte

Facebook: https://www.facebook.com/catharina.conte/

TikTok: @catharinaconte

Sobre Caharina Conte:

Catharina Conte se divide nos papéis de atriz, diretora, performer, professora de teatro e filmmaker. Cresceu entre as coxias dos teatros vendo os ensaios dos seus pais, Julio Conte e Patsy Cecato, também atores. Desde 2000, quando começou sua carreira, atuou em mais de 15 espetáculos, diversos curtas e dois longas-metragens, “Contos do Amanhã” (Bactéria Filmes) que roda o mundo e já passou por mais de 50 festivais ao redor do mundo; e “Depois de ser cinza” (de Eduardo Wanmaccher), além de atuar como dubladora e locutora.

Em 2011, graduou-se em Produção Audiovisual pela PUCRS e em 2015 concluiu o Bacharelado em Teatro com ênfase em atuação na UFRGS.

Seu trabalho “Como sobreviver ao fim do mundo” foi premiado com “Melhor Atriz” e “Direção Revelação” no Prêmio Açorianos, em 2014. O espetáculo foi apresentado em Porto Alegre, Curitiba e Nova York, em parceria com Evoe Collective.

Participou por dois anos e meio da pesquisa “O trabalho do ator voltado para um veículo radiofônico”, como bolsista do CNPQ, com orientação da Profa. Dra. Mirna Spritzer, e recebeu destaque como pesquisadora na premiação do Salão de Iniciação Científica, de 2014.

Realizou intercâmbio “Estudo da atuação” na escola New York Film Academy, em 2010, em Los Angeles. Em julho de 2016, estudou com Berty Tovias, em Barcelona, sobre a técnica de Jacques Lecoq. 

Ensina teatro para iniciantes desde 2011 e é sócia da escola de teatro Porto Alegrense Cômica Cultural. Em 2016, Catharina dirigiu “CLOSER: o amor é suficiente?”, de Patrick Marber, encenado no Sul do Brasil. Ganhou destaque também no monólogo Como sobreviver ao fim do mundo, que lhe rendeu o Prêmio Açorianos de Melhor Atriz Revelação; e a montagem oficial dirigida por Julio Conte do espetáculo Bailei Na Curva, peça que mostra a trajetória de sete crianças durante três décadas e tem como pano de fundo os fatos políticos a partir do golpe militar de abril de 1964 até o movimento das Diretas Já, em 1984.

Em 2018, se mudou para Londres em busca de novas trajetórias artísticas. É colaboradora do grupo LegalAliens Theatre, atuando no espetáculo Closed Lands (2020) e no projeto digital #ThingsIAmNot.  Também se juntou ao StoneCrabs Theatre, treinamento em direção teatral, onde estreou como diretora com o espetáculo “The sky five minutes before a storm”, da premiada dramaturga brasileira Silvia Gomez, espetáculo apresentado em agosto de 2021, no Southwark Playhouse.

Fonte: Passarim Comunicação

LEAVE A REPLY